Amigos

Professora de Artes Plásticas formada na Universidade Mackenzie ,que sente, ama e cria Artes.

Minha foto

Artista plástica e professora na rede municipal de São Paulo.

terça-feira, 16 de junho de 2015

AGENDA CULTURAL

ZÉ BEZERRA

ARTISTAS: JOSÉ BEZERRA
CURADORIA: TIAGO MESQUITA
DE 17/6 A 2/8
ENDEREÇO: RUA FERREIRA DE ARAUJO,625 PINHEIROS
TELEFONE: (11) 3813 7253
Entre os dias 17 de junho e 2 de agosto, a Galeria Estação apresenta a exposição individual de esculturas do pernambucano "Zé Bezerra". Quando José Bezerra olha um pedaço de madeira ele já reconhece a imagem que ali se insinua. Sua arte então é esculpir o tronco para que o desenho surja, deixando, porém, uma janela aberta à imaginação. Animais domésticos e bichos da região como tatus, cachorros e tamanduás são parte considerável da sua produção. Bezerra transforma temáticas simples em soluções inesperadas, ao deslocar com seu arsenal artístico a ideia que se tem da fauna original.
Com a intervenção de um facão, grosa, formão e serrote em árvores caídas, pedaços de troncos e raízes, ele retrata as mais diversas formas, aproveitando a natureza do Vale do Catimbau (PE), onde vive, para conceber o seu trabalho. "Ele vislumbra algo nos galhos antes mesmo de começar a trabalhar. Aliás, é o que ele enxerga na planta que o faz começar. Assim, a forma não é o fim do processo, mas qualidade do próprio cepo”, diz Tiago Mesquita, curador da exposição.
A mostra conta com cerca de 40 esculturas que se dividem em duas maneiras diferentes de relação da matéria com a forma. Além das peças nas quais a madeira sugere a figura do bicho, Bezerra trabalha também com troncos regulares a partir dos quais o animal aparece. “Pode ser a cabeça de um porco que surge na ponta de um toco, um carneiro que tenta sair do cilindro do tronco ou um tatu que se contorce tentando arrastar um pedaço curvo de pau”, explica o curador.
Mesquita ressalta ainda que muitas vezes, seu entalhe se confunde com os próprios veios e rachaduras da madeira. "Embora pareça bicho, o tronco não perde sua qualidade vegetal. O material decaído também não é mais árvore e começa a assumir outro aspecto. O artista figura uma coisa se tornando outra. Nem mais galho, mas ainda não bicho.”
Sobre o artista
José Bezerra (1952, Buíque, PE) vive no Vale do Catimbau, no sertão de Pernambuco, região, segundo pesquisadores e arqueólogos, considerado o segundo maior sítio arqueológico do Brasil, tanto pela quantidade de pinturas e inscrições quanto pelo valor histórico. É respirando esta atmosfera que o artista produz suas esculturas, exibindo-as ao redor de sua casa, uma aldeia de seres em madeira que encantam os viajantes que por lá passam, entre os quais Zé Celso Martinez.
Serviço:Exposição: Individual de José Bezerra, com curadoria de Tiago Mesquita.
Datas e horários: De 17 de junho a 2 de agosto de 2015 (abertura: dia 16/6, às 19h). De segunda a sexta, das 11h às 19h, sábados das 11h às 15h.
Local: Galeria Estação | Rua Ferreira de Araújo, 625 – Pinheiros.
Entrada franca.
Postar um comentário